O que muda com o fim do DPVAT?

28/11/2019

 

Foi anunciado neste mês a extinção do seguro obrigatório DPVAT a partir de 2020, que até então era cobrado anualmente junto com o IPVA. Esse seguro cobre casos de morte, invalidez e despesas médicas e hospitalares causadas por acidente de trânsito.


De acordo com a Seguradora Líder, que administra o DPVAT, em 2018 foram pagas 328.142 indenizações, sendo 38.281 por morte, 228.102 por invalidez e 61.759 por despesas médicas. Com o fim do DPVAT, as vítimas de acidentes de trânsito não terão mais como solicitar a indenização, e tanto a vítima como o causador precisarão arcar com as despesas sem poder recorrer a esse seguro.

 

 

Para esse problema, os seguros pessoais podem ser uma saída para quem não quer ficar sem cobertura na hora de um imprevisto.Uma das coberturas que não pode ser deixada de lado na hora de contratar um seguro é a de Responsabilidade Civil. Essa cobertura pode ser contratada individualmente ou dentro do seguro do casco do automóvel. É importante definir com atenção o valor da indenização, pois ela precisa cobrir danos materiais, danos corporais e danos morais.

 

Outro seguro importante que também precisa ser considerado, principalmente com o fim do DPVAT, é o Seguro de Vida. Ele garante indenização no caso de morte e invalidez, e ainda possui diversas coberturas como indenização por diagnóstico de doença grave e Diária por Incapacidade Temporária.

 

Se você ainda não tem seguro não deixe de contratar! Imprevistos sempre podem acontecer, mas quem conta com um seguro terá a proteção necessária no momento em que precisar.

 

 

 

 

Compartilhar
Please reload